sábado, 5 de dezembro de 2015

Tanta chuva

Tanta água para lavar a alma 
Para começar de novo 
Com olhos de criança 
Brincar e bailar e dançar 
Porque o recomeço renova 
E a imaginação solta 
E a energia recarregada 
Vamos fazer tudo outra vez
Só que, desta vez, bem melhor 
Encharcar a alma e gargalhar 
Com o riso frouxo , os movimentos 
Leves e sincronizados e todos 
Criando a saudade deste momento único 
Em que, juntos, brincamos sem nos preocupar se há doença ou maldade ou lixo que nos rodeie 
Sem saber da saudade que sentiremos deste banho de chuva, deste momento 
A saudade de nós...
Postar um comentário