domingo, 27 de junho de 2010

A sabedoria de Drummond- Por que sofrer à toa?

Viver não dói
Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.
Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade. Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias, se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!!A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.
Carlos Drummond de Andrade


"Só no dia que acabar a última gota de água limpa, que cair a última árvore e que morrer o último peixe, o homem branco descobrirá que dinheiro não se come, não se bebe, não se respira!"
Frase de um índio Sioux, do Século XIX

Os sete saberes necessários à Educação do futuro

O mundo caminha desordenadamente neste século e para organizá-lo para o coletivo precisar dominar os sete saberes:
O Conhecimento;
O conhecimento pertinente;
A identidade humana;
A compreensão humana;
A incerteza;
A condição planetária.
Se não unirmos o conhecimento para contextualizar nossa identidade, compreendendo o semelhante, tendo noção da era de incerteza que vivemos, nosso mundo terminará no caos. Se você é educador, leia o artigo de Morin na íntegra:
http://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:_q2wcb7UZhwJ:tudosobre.com/concursos/3/MORIN,%2520Edgar%2520Os%2520Sete%2520Saberes.pdf+edgar+morim+-+os+setesaberes+necess%C2%B4%5Barios&hl=pt-BR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEESh_0eDuRI0k3P6-00y_aM-akrvPp7vuevqNZo7qNd2eN_6x4OGBvr2hgj52_mdKBjBSqJ5KXHbi8Gad6xbp6CdcSP6TEFSHYZF1AA9EIy99QVi_YO_PNfZtho64a6q31E4tOqH7&sig=AHIEtbQJomO7CMVy7gIviYYTPzRa9eeSCg

sábado, 26 de junho de 2010

Veja dica de protuguês do Uol Educação

Posição dos termos na frase pode levar a sentido indesejado


Por Thaís Nicoleti

“O ambulante passa dia e noite sentado em frente aos escombros para proteger o que restou dos saqueadores.”

O contexto permite compreender a frase, mas a construção não foi das mais felizes. O fragmento ilustra mais um caso de ambiguidade sintática, isto é, uma construção que permite duas interpretações do ponto de vista sintático.
O elemento que desencadeia o problema é a expressão “dos saqueadores”, que, embora seja complemento do verbo “proteger” (proteger algo de alguém, contra a ação de alguém), parece completar a forma verbal “restou” (o que restou do patrimônio).
Tanto “proteger” como “restar” admitem o complemento iniciado pela preposição “de”, portanto é preciso escolher a melhor posição para o complemento. Quanto mais próximo o complemento (termo regido) estiver do verbo (termo regente), mais clara será a construção.
Outra possibilidade de reformulação seria usar a preposição “contra”, também aceita pelo verbo “proteger”, mas não aceita pelo verbo “restar”. Veja abaixo as sugestões:


O ambulante passa dia e noite sentado em frente aos escombros para proteger dos saqueadores o que restou do seu patrimônio.

O ambulante passa dia e noite sentado em frente aos escombros para proteger o que restou de seus bens contra os saqueadores

I Dia da Família 2010



O Dia da Família, evento realizado hoje na escola, sendo a responsável a Coordenadora Nelci Vasconcelos que contou com a colaboração de toda equipe escolar para que se realizasse sem problemas. Fomos prestigiados pela presença do prefeito Ari Artuzi, o coordenador do Núcleo de Tecnologia Municipal Iran Pereira Lins, que fizeram parte da mesa de autoridades ao lado do diretor Jair Silveira de Almeida e diretora adjunta Ivone Bonetti.

Os pais apareceram em maior número do que nos eventos anteriores e isso nos alegrou muito, pois significa que estão mais próximos de seus filhos. Foram feitas várias apresentações, as quais descrevo a seguir:

Apresentação da professora intérprete Adriana e vários alunos usando a linguagem dos sinais dos deficientes auditivos;

Apresentação das alunas, alguns vestidos como uma família: avô, avó, papai, mamãe e dois filhos acompanhados por vários cartazes no formato de coração trazendo cada qual uma palavra positiva como paz, amizade, amor e outras com a mesma riqueza de significado, cantando a música da Família, do Padre Zezinho.

O professor Édson Ferreira Lopes, acompanhado por uma voluntária que veio de Deodapolis acompanhá-lo ao violão na música Tua família, do grupo chamado Anjos do Resgate.

Fizemos um bingo sorteando uma bicicleta que foi ganha pela mãe Rosimeire, mãe sempre presente na escola.

Ao final do evento foi entregue um kit alimentar para cada pai e cada mãe presentes no evento, mas até as crianças levaram e, também houve lembrancinhas como as tulipas feitas com EVA, que ficaram lindas com um bilhete agradecendo a presença de todos os envolvidos e das famílias da Escola Municipal Profª Clori Benedetti de Freitas. Tudo foi registrado por mim e pela coordenadora Ivanilda que deve publicar também em seu blog como poderão constatar com as fotos acima. A Escola abraçando a comunidade com o mesmo objetivo: ENSINAR A BUSCAR.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Projeto Eu faço parte disso - Minha Identidade

Atendendo a pedidos, posto o projeto para livre uso dos educadores.

Projeto Eu faço parte disso - Identidade

Conselho de Classe e Troca de Experiências


Hoje, em nossa escola houve, de manhã, Conselho de Classe dos oitavos anos e à tarde houve Troca de Experiências entre os professores do Ensino Fundamental I.
Sobre o Conselho de Classe temos aquela preocupação constante: como melhorar a aprendizagem dos alunos? Como dinamizar a prática?
À tarde, na troca de experiências, os professores apresentaram projetos de aulas interessantíssimos, como o de Animais trabalhando em Matemática (idade, tempo de gestação, etc), Geografia (região, hábitat), Artes com colagens, mosaicos, reaproveitando palitos, barbantes, etc, em Português é possível trabalhar nos textos lidos e produzidos: ortografia, morfologia e sintaxe. Também foi apresentado um trabalho dentro de uma caixa de papelão imitando um fliperama, reaproveitando tampas de garrafa pet e nas laterais colocar escaninhos encaixando famílias silábicas ou tabuada ou qualquer conteúdo que possa se utilizar desta ferramenta, desafiando o aluno a chegar até o escaninho e dizer o resultado, se for Matemática ou uma palavra com aquela sílaba onde a bolinha ou tampa de garrafa pet cair.
A diretora Adjunta Ivone Bonetti apresentou seu trabalho com leitura, troca de livros e quais estratégias utiliza para que os mesmos demonstrem como interpretaram e reflitam sobre o que leram.
Teve mais apresentações , entretanto, não pude assistir por motivos pessoais, mas, tenho certeza que foram apresentações com a mesma riqueza e a mesma vontade de ensinar que nós, educadores, carregamos conosco.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Atividades do Projeto Identidade - Pré Educação Infantil


O pré da professora Marinalva Alves de Andrade, de nossa escola, está produzindo um trabalho belíssimo sob a coordenação da Alciléia Marques Lima, nas atividades elencadas no Projeto Identidade. Nesta atividade trabalhou-se as cores, significados  e a simetria delas em nossa bandeira nacional produzindo um lindo trabalho que serviu de decoração como pode ser visto nas fotos.
A educação começa cedo e com pessoas responsáveis e com compromisso, ela pode ser completa. Já não dizia Ele: "Vinde a mim as criancinhas..."
Sei que é um chavão, todavia irei repeti-lo para enfatizar meus sentimentos quando vejo um trabalho assim: O futuro do mundo pertence às crianças!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Reunião PNLD para o triênio 2011/2013 Ensino Fundamental II


Hoje realizou-se a reunião das coordenadoras pedagógicas e os diretores das instituições escolares municipais na Secretaria Municipal de Educação com os cumprimentos do secretário de Educação Edmilson e as representantes do Departamento de Ensino, minhas queridas Mariolinda Ferraz, Leila Nolasco, Cristiane Gonçalves e Luíza Santa Terra e, claro eu, professora coordenadora Rosângela Ferreira Luz marcando presença, contribuindo com a análise dos livros didáticos, representando minha amada Escola Clori, onde lutamos por uma educação de melhor qualidade. A Reunião se deu no intento de fazer a melhor escolha para o triênio 2011/2013 dos livros didáticos analisados de todas as disciplinas. O próximo passo é a reunião com os professores da unidade escolar do Ensino Fundamental II para acertarmos os detalhes. Sempre em busca da construção do saber, educador é assim e a Educação precisa disso!!!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Tempos de ensino utilizando a Internet


O artigo "Avaliação: o combinado não sai caro" vêm de encontro às expectativas de como se lidar com os alunos para ganhar a sua confiança e seu respeito para poder ensinar e, assim, fazer uma avaliação justa. Vale a pena ler, tem muitas sugestões de como propor as atividades, como estimulá-los a participar e como avaliá-los, fazendo também uma avaliação de sua prática.

http://www.educarede.org.br/educa/index.cfm?pg=internet_e_cia.informatica_principal&id_inf_escola=43

domingo, 20 de junho de 2010

Projeto Copa do Mundo 2010




Copa do Mundo Objetivos
• Conhecer, valorizar e divulgar as diversas culturas.
• Identificar as danças, músicas, comidas, crenças e roupas tradicionais de cada país.
• Conhecer a história das copas.
• Identificar cada país e os dias que jogam.

Formulação dos Problemas
• Onde será realizada a Copa do Mundo?
• O que podemos observar nos grupos?
• Quais são as comidas e danças típicas dos países participantes?
• Você conhece algum desses países?
 Tempo da Atividade: Depende do ritmo da turma.
Material
• Material para fazer a viseira: cartolina, canetas, colas, etc.
• Hino Nacional.
 Temas Transversais
Ética e cidadania: Envolver todo o conteúdo no tema PAZ, já que se fala em campeonato mundial, abordar a união dos povos pelo esporte, a necessidade de um trabalho coletivo bem planejado , o respeito entre os envolvidos e com as regras, bem como aceitação de que não se vence sempre... Que temos que aceitar a derrota e dela extrairmos novas estratégias.
Meio ambiente: Observar no meio ambiente as mudanças ocorridas em razão da Copa (pinturas, enfeites em geral) e analisar os aspectos positivos (torcida) e negativos (poluição visual, sujeira).
Pluralidade cultural: Observar a língua falada em outros países e resgatar alguns usos e costumes de alguns países que nós, brasileiros, herdamos. As colônias brasileiras nos países que sediam a Copa e colônias destes países no Brasil.
Sensibilização: Mostrar fatos aos alunos, ler textos ou exibir vídeos sobre as Copas.
Biblioteca: Leitura do texto: Jogo de bola (Cecília Meireles);
Leituras sobre as copas (jornais, revistas, livros);
Montar uma revistinha da copa com atividades desenvolvidas nas diversas disciplinas.
Ed. Artística: Viseira da Copa / Bandeirinhas para enfeitar a escola / Desenhos livres sobre a Copa.
Música: Rumo ao Penta (Pelé) .
Ed. Física:Organizar um jogo de futebol / As regras do futebol e a função de cada jogador./ Tipo de roupa adequada para a prática do futebol (uniforme). / Organização da fila e Posição adequada para cantar o Hino Nacional.
Vídeo: Franklin aprende a jogar bola (aborda a questão do preparo físico, a técnica – regras e a ação coletiva do grupo) Cartoon network – tv a cabo.
Português: O Hino Nacional.
A letra do hino enfatizando as palavras que as crianças mais erram;
Pesquisa no dicionário do significado das palavras mais difíceis;
Música da Copa;
Músicas de copas anteriores, músicas que abordam o tema futebol, bem como jingles antigos e recentes com o tema futebol.
Texto: Jogo de bola (Cecília Meireles);
Livros de literatura infantil (a verificar);
Entendimento e ilustração;
Atividades de escrita e leitura como cruzadinhas, caça-palavras, curiosidades, trava-línguas, etc.
Organização de Listas de nomes comuns no futebol, de nomes próprios (nome dos jogadores, técnico, juiz e demais personalidades do futebol na Copa;
Observar a língua falada nos países envolvidos na Copa, dando ênfase aos que sediam o campeonato e os que disputam diretamente com o Brasil;
Leitura de noticiários diários – textos jornalísticos;
Matemática:
Quantas vezes o Brasil foi campeão? Significado da palavra Penta (bem como tetra, tri, bi-campeão).
Significado dos termos: oitavas de final, quartas de final, semi final e final.
Quantidade de jogadores num jogo de futebol.
Os reservas da seleção (função).
Agenda da copa.
Análise do placar dos jogos do Brasil.
O comércio que envolve a Copa (bandeiras, camisetas, apito, etc...).
Liga pontos.
História e Geografia:
História das Copas;
Sede da Copa;
Curiosidades sobre a vida das pessoas do país onde ocorre a Copa. (usos e costumes);
Localização no mapa da sede da Copa;
Acompanhar a agenda da Copa e os jogos do Brasil bem como seus adversários;
A Bandeira Brasileira;
As bandeiras dos países que estão sediando a Copa;
As bandeiras dos demais países;
Falar que todos os países tem o seu Hino Nacional;
Mãos de obra temporária que surge em razão da copa;
O respeito às demais seleções;
Reforçar o espírito patriótico;
Retrospectiva das Copas.
Ciências:
A saúde: alimentação, prática de esportes, o condicionamento físico, saúde mental, o repouso;
O exame anti-doping; Campanha anti-drogas (na historia das copas, esta foi a única que até o momento todos os exames anti-doping obteve resultados negativos);
O fumo e o álcool: são incompatíveis com a prática de esportes;
Os valores nutricionais de alguns alimentos;
Dicas para uma dieta bem equilibrada para as crianças;
Montar com as crianças um cardápio;
Cuidados com os fogos e balões.
Conclusões e Aplicações
Participação individual e em grupo em cada etapa de trabalho.
Elaboração das pesquisas, de cartazes, ensaio das coreografias, etc.


Este e outros projetos são compartilhados no endereço acima, vale a pena fazer uma visitinha para refrescar a dinâmica docente e melhorar o nível da aprendizagem na educação escolar.

sábado, 19 de junho de 2010

Ser criança não significa ter infância. Uma reflexão sobre o que é ser criança no mundo contemporâneo.

http://portacurtas.org.br/pop_160.asp?cod=672&Exib=8238

Projetos Educativos


Neste site do EscolaBR encontramos vários projetos educativos que tem por objetivo a inclusão digital nas escolas públicas, ampliando o leque de conhecimentos necessários para a evolução e formação da criança e do adolescente. Verifique:

http://www.escolabr.com/portal/modules/news/index.php?storytopic=11

Motivação para o processo ensino-aprendizagem

Este artigo abaixo, de Cássia Ravena, traz ótimas sugestões que devem tornar-se rotina na prática docente para que não aconteça situações corriqueiras de fingir que ensinamos e as crianças fingirem que aprendem. Vamos fazer da Educação um instrumento de verdade e libertação.

Motivação na Aprendizagem

Autora: Cássia Ravena Mulin de Assis Medel[1]

Um bom didata, tem no seu ânimo, fonte de motivação para todos...
Os professores estão sempre se perguntando sobre o que devem fazer para que os alunos realmente aprendam.
Segundo o dicionário Silveira Bueno, motivação quer dizer exposição de motivos ou causas; animação; entusiasmo. Através dessas definições, pode-se constatar que estar motivado é estar animado, entusiasmado. Para isso, é necessário ter motivos para se chegar a esse estado.
Qualquer coisa que se faça na vida, é necessário primeiro a vontade de realizá-la, senão nada acontece. Isso também ocorre na educação. Educação requer Ação e como resultado dessa ação, há o APRENDIZADO. Mas para que se realize a ação e esta resulte no aprendizado é necessário, inicialmente, que haja a VONTADE, nesse caso, a vontade de aprender. O professor deve descobrir estratégias, recursos para fazer com que o aluno queira aprender, em outras palavras, deve fornecer estímulos para que o aluno se sinta motivado a aprender. Como por exemplo:
Dar tratamento igual a todos os alunos;

Aproveitar as vivências que o aluno já tem e traz para a escola no momento de montar o currículo, incluir temas que tenham relação, isto é, estejam ligados à realidade do aluno, a sua história de vida, respeitando a sua vida social, familiar;

Mostrar-se disponível para o aluno, ou seja, mostrar que ele pode contar sempre com o professor;

Ser paciente e compreensivo com o aluno;

Procurar elevar a auto-estima do aluno, respeitando-o e valorizando-o;

Utilizar métodos e estratégias variadas e propostas de atividades desafiadoras;

Mostrar-se aberto e afetivo para e com o aluno;

"Acolher" realmente o aluno;

Dar carinho e limites na medida certa e no momento adequado;

Manter sempre um bom relacionamento com o aluno, e consequentemente, um clima de harmonia;

Fazer de cada aula um momento de real reflexão;

Ter expectativas positivas acerca do aluno;

Saber ouvir o aluno;

Não ridicularizá-lo jamais;

Amar muito o que faz, a sua profissão de professor;

Mostrar para o aluno que ele pode fazer a DIFERENÇA, isto é, que ele tem o seu lugar e o seu valor no mundo;

Perceber que ele, o professor, pode fazer a DIFERENÇA, para o aluno;

O professor deve ensinar o aluno a ser ético e crítico, mostrando a ele que a crítica é boa , desde que feita de maneira adequada e que a ética é fundamental em qualquer relacionamento humano, em qualquer ambiente: Familiar, Social, Escolar, entre outros.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Homenagem a José Saramago

Hoje o mundo ficou mais pobre: perdemos nosso escritor português, Nobel de Literatura, nosso José Saramago, que nunca teve receio de dar sua opinião e suas reflexões a nós, humanos mortais, que admirávamos a maneira ousada, atrevida de reinventar os fatos, o tempo, a vida. Muitos abominam suas obras porque ele era ateu e tinha divergências com a Igreja Católica,mas isso não empana o brilhantismo de suas obras, todavia, não é a leitura das obras-primas dele que irão destruir a fé do leitor só se, por acaso, este for influenciável, o que não é bom para a autonomia de nenhum ser humano.
Pessoas como ele vem ao mundo para nos encantar e encantar palavras produzindo textos como quem alinhava um tecido, ajustando palavras, aprimorando sua prática com parágrafos longos que, num fôlego só, faz da sua literatura o supra-sumo dos prazeres. Ele foi capaz de internacionalizar a literatura portuguesa.
Morre um gênio e, apesar de ser ateu, que Deus se compadeça de sua alma.

Boa viagem

Esvazia-se a poesia de um quê
De literatura, da boa leitura
Da vida além do possível
Da intervenção humana
não reflexo divino
Nas sensações e reações
É sempre assim quando se perde
Não há volta
Não há cura
Não Sara o Mago
Pelo menos o corpóreo
Mas o etéreo não some
Mistura-se sangue ao eco
Vida eterna em doces letras
Celebre-se este momento
Com a compreensível dor da perda
Com lágrimas contidas
Transformadas nestas palavras
Com todo o respeito a sua memória
E com o orgulho de ter vivido
No tempo de Saramago
Desejando-lhe
Boa viagem.
Autor do poema: Ulisses Neves

Leitura na Escola Municipal Profª Clori Benedetti de Freitas

Nossa escola não possui biblioteca, entretanto nem por isso nossos alunos ficam sem ler. Nossa diretora adjunta Ivone Bonetti, todos os dias empresta livros para todas as turmas no período matutino e no período vespertino auxilia a bibliotecária Selma no empréstimo e troca de livros, levando a cultura para as as famílias que ao verem os livros também aproveitam para ler. Livros ao alcance de todos!!!

Maquete surpresa para Professor Adoaldo

Nosso professor de Geografia Adoaldo Spessoto Rodeline foi surpreendido por suas alunas do 6ºD, Glácia, Natielly, Luana Souza e Caroline, que produziram uma maquete do bairro para ele. O trabalho das alunas foi minucioso, apresentando detalhes importantes de nossa comunidade.
Parabéns, alunas e continuem assim, sempre prestigiando a educação e a valorização do mestre!

O fantasma da Ópera Teatro Porã Vespertino

Ontem os professores do projeto do teatro Kadu Donomo e Márcio Arruda caracterizaram-se como o fantasma da ópera, peça tradicional no circuito teatral mundial, trazendo para nossa escola muito da magia e envolvimento da representação, trabalhando com eles como introjetar um personagem emprestando a ele sua voz e seu corpo, criando uma nova personalidade e características próprias.
Este trabalho está sendo fundamental paraa a formação humana das crianças e adolescentes desta escola.

II Festa Junina Clori


Preparativos para a festa junina para funcionários e familiares desta unidade escolar; a festa ocorre desde o ano passado, na chácara Santa Maria, propriedade da coordenadora Alciléia e terá premiação para o mais caipira e sorteio de brindes para os convidados, muita comida típica e muita alegria. Vai ser um arraiá pra lá de bom!!!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Olimpíadas de Língua portuguesa

Em andamento as oficinas sobre os gêneros crônica, poesia  e memórias literárias com os professores Cleber, Isabel e Helena, muita criatividade, escrita e leitura.
Iremos entrevistar um antigo morador do bairro para utilizarmos suas memórias nos textos como autor-narrador. Irei registrar tudo para compartilhar com os internautas.

Apresentação Teatro Porã

Apresentação do projeto Teatro Porã representando as máscaras do teatro representando a Alegria e a Tristeza e suas nuances na expressividade corporal. O projeto objetiva desenvolver as habilidades de expressão oral, corporal e de situações, preparando o aluno para a vida.
Parabéns, Maria Helena!!! 

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Reflexões...




Copa do mundo em andamento, curso sobre o Linux também, festas juninas, tantas coisas que temos que intercalar uma com a outra e desenvolver bem todas. Muito trabalho, mas muita satisfação também
Olimpíadas de Língua Portuguesa gerando frutos, textos ótimos, percebe-se o crescimento dos alunos no gênero estudado e felicito aos que passaram para a segunda fase das Olimpíadas de Matemática. A educação acontecendo de verdade!!!

Nas letras da música

Nas letras das músicas *º ano A e B 2017 de Rosângela Ferreira Luz