quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Somos preconceituosos? Assuma!

Hoje, conversando com minha santa mãe, sábia mulher, concluí que somos todos preconceituosos de alguma forma, por mais que acreditemos termos a mente aberta para tudo e todos. Compreendi, na minha visão de hoje, Penso isso hoje, amanhã não sei), que temos que praticar a tolerância, saber enrustir a negação do outro para vivermos em um ambiente harmônico. Minha filha estuda em uma escola particular e ontem, foi a abertura dos Jogos da Primavera da escola, sempre é um espetáculo o evento. Fomos eu , meu sogro (de coração), a Ana e minha filha. Ela foi se reunir com os coleguinhas de turma e no caminho, havia uns garotos de camisetão, boné, calças largas. Minha amiga disse que eles vieram para fazer alguma apresentação, eu já achei que era jovens da classe média com estilo de "mano". Era uma apresentação! E como professora coordenadora enxerida fui sondar como poderia agendar uma apresentação na escola em que trabalho. Consegui!!! Mas descobri também que fazem faculdade, moram em área nobre da cidade, uma realidade bem distante da que haviámos imaginado (pois quando soube que estavam lá para a apresentação, achei, como minha amiga, que fossem da periferia, com toda conotação que a palavra traz).
Simultaneamente ocorreu o episódio do governador do estado insultar o ministro do meio ambiente do país dizendo que: "Fulano é um veado, se ele vier aqui, vou estuprá-lo em praça pública". Choque... Estarreci! Pensei, meu Deus, é para convivermos com esta agressividade verbal que votamos? Com tanta baixeza sendo transmitida por via satélite para todo mundo? E se for homossexual, é defeito? Não é um problema de foro íntimo? A gente vê e escuta cada coisa e as crianças que escutam e não têm como filtrar o lado positivo da coisa?
O mundo anda carente de bons exemplos, para nós, adultos, renovar as esperanças de felicidade e paz, as crianças, para se espelharem, repetirem e aprimorarem os bons exemplos.
O preconceito é feio, divide em vez de somar, constrange em vez de descontrair, mata em vez de amar, humilha em vez de enaltecer. Viveríamos bem melhor, se aceitássemos como o Outro é e como somos. Você se aceita como é?

Nas letras da música

Nas letras das músicas *º ano A e B 2017 de Rosângela Ferreira Luz